Piercing na Orelha: Mitos e Verdades

Piercing na orelha é a modificação corporal que menos gera desagrado na sociedade. Isso porque, além de serem lindos, eles são mais discretos que as tatuagens.

 

Por isso, se você gosta de estilo mas não quer chamar tanta atenção, a melhor opção é investir em um piercing.

 

No entanto, são tantas opções de locais para furar e tantas joias bonitas e estilosas, que acaba sendo difícil fazer um único piercing. É por isso que houve uma popularização dessa prática.

 

Hoje, é possível encontrar pessoas que possuem bem mais de um único furo na orelha, com combinações incríveis e que fazem o seu estilo predominar.

 

Está na dúvida se faz, ou não, um piercing na orelha? Então acompanhe a leitura e descubra tudo o que puder sobre eles. Você verá as opções de lugares, bem como as melhores práticas para a boa cicatrização, além de informações muito interessantes sobre dor e até mesmo a história dos piercings.

 

Continue lendo!

Piercing na Orelha Não é Uma Novidade

 

O piercing é uma prática milenar

 

A prática de perfurar o corpo e inserir objetos nesses furos é antiga. Muitos povos e civilizações usavam esses adornos com diferentes finalidades. Indo desde intenções medicinais, para inutilizar pontos de dor, até como enfeites corporais, os piercings possuem uma história muito rica.

 

Por exemplo, os povos nativos americanos, no caso, maias e astecas, usavam os piercings com finalidade religiosa, como uma maneira de homenagear os seus deuses. Os sacerdotes possuíam brincos e pedaços de madeira pelo corpo, a fim de se aproximar das divindades durante os seus rituais.

 

Egípcios e indianos usavam os piercings como identificação, para poder determinar, sem palavras, qual a casta ou a posição social hierárquica na qual viviam. Perceba, portanto, que os acessórios possuíam uma importância dentro das sociedades.

 

O uso como adorno era feito pelos romanos, que aproveitavam a beleza da modificação corporal para se tornarem mais bonitos e atraentes.

 

Entretanto, com a ascensão do catolicismo, durante a Idade Média, a prática de perfurar os corpos caiu em desuso, principalmente pela doutrina em vigor, que pregava que os corpos não deveriam ser maculados. Afinal, esse preconceito seguiu por vários séculos e, apenas na década de 1960 os piercings voltaram a cena.

 

O movimento hippie foi um dos principais responsáveis pela reativação do uso dos adornos. Por pregarem uma liberdade corporal e mental, as pessoas voltaram a utilizar os piercings como elemento estético. Sendo assim, até hoje essa premissa vigora e, atualmente, é possível encontrar brincos de diversos modelos e materiais.

O Que é Preciso Saber Antes de Fazer um Piercing?

 

O que saber antes de furar um piercing na orelha

 

Na prática, é tudo muito simples. Basta perfurar a região escolhida na orelha e colocar o adorno. No entanto, a prática de colocação de piercing na orelha é muito mais complexa e algumas questões precisam ser observadas, de modo a evitar erros ou dores extremas.

 

Então, quando for colocar o seu piercing na orelha, considere as seguintes informações:

 

1. Considere o Seu Limite de Dor

 

A perfuração da orelha, para a colocação do piercing, pode ser dolorosa, dependendo da escolha do lugar que deseja fazer o adorno. Por isso, converse com o seu body piercer e também pesquise sobre quais são os locais mais doloridos.

 

Alie à sua própria capacidade de tolerância e encontre a melhor opção. Assim, você evita dores desnecessárias e que te levariam a retirar o brinco.

 

2. Fobia de Agulhas

 

Para a perfuração é usada uma agulha em formato de cateter. Muitas pessoas apresentam medos e fobias em relação a esses objetos. Se você for uma delas, análise sobre o real desejo de fazer um piercing na orelha.

 

Caso realmente queira e esteja disposto a passar por cima de seu medo, informe o profissional sobre essa questão. Ele saberá como te acalmar para que o processo seja feito sem sofrimento.

 

3. Reações Alérgicas Recorrentes

 

Se você costuma apresentar alergias quando coloca determinados tipos de brinco, é importante que saiba identificar qual é o tipo de metal que mais te traz desconforto.

 

Atualmente, a maioria dos piercings são fabricados em metais com baixo risco de alergias, como o titânio e o aço cirúrgico. No entanto, se você não puder usar um desses, invista em um brinco personalizado.

 

4. Respeite as Características do Seu Corpo

 

Nem todas as orelhas são iguais. Algumas pessoas possuem elas mais fechadas, outras mais abertas, o que influencia na possibilidade de aplicação do piercing na orelha.

 

Antes de criar um desejo sobre a perfuração de alguma área, veja se a sua orelha suportará a perfuração.

 

5. Perfure Com um Profissional Qualificado

 

Mesmo que pareça algo simples, a perfuração de um piercing na orelha exige uma técnica profissional aplicada.

 

Então, não fure a si mesma e nem peça para algum conhecido fazer. O body piercer sabe quais são os pontos possíveis de serem furados, além de utilizar os equipamentos adequados e te orientar no processo de cicatrização.

Piercing na Orelha

 

A orelha é o local onde há mais pontos disponíveis para a perfuração. Com eles, você consegue criar combinações lindas, unindo vários brincos e melhorando seu estilo e auto-estima. No entanto, é interessante que você saiba quais são esses pontos e como eles se chamam. Com isso, você consegue identificar qual mais te agrada.

 

Também é importante salientar que cada ponto da orelha é diferente do outro. Afinal, alguns são em partes mais moles, como os dos lóbulos. Outros, são nas cartilagens e, portanto, mais duros. Via de regra, quanto mais durinha for a parte que deseja perfurar, mais dolorido pode ser.

 

Além disso, cada ponto de perfuração exige um cuidado específico. Por isso, fique atento à orientação do profissional. Caso seja o seu primeiro piercing na orelha, experimente começar por uma região menos dolorida e de mais fácil cicatrização. E, acima de tudo, respeite o que o seu body piercer indicar. Ele saberá quais são as melhores áreas para colocar o seu piercing.

 

Veja quais são os principais piercings na orelha.

Hélix (hélice)

 

Esse piercing é colocado na parte superior da orelha, na área cartilaginosa chamada de hélice. A perfuração do hélix não é extremamente dolorosa, apesar de ser uma região dura. Isso porque o transpasse da agulha é feito de modo rápido, o que favorece para ser apenas uma sensação de pressão e uma dor aguda e pontual.

 

O hélix é um dos piercings mais procurados. Por sua baixa incidência de dor e pela grande quantidade de opções de brincos, muitas pessoas se interessam por essa região para adornar o corpo. Você pode decorá-lo com argolas, pinos, pedras. Há uma infinidade de opções lindas e confortáveis para a sua escolha.

Industrial (transversal)

 

Esse é um dos modelos de piercing mais chamativos. Isso porque, tal qual o próprio nome já diz, ele atravessa de um lado a outro na orelha, necessitando, portanto, de dois furos para se completar. Um furo é feito na parte mais interna do hélix e o outro na parte externa, gerando uma espécie de ponte entre os dois.

 

Por serem feitos dois furos de uma só vez, a sensação de dor pode aumentar um pouco. No entanto, é uma região de fácil cicatrização e, com a joia certa, seu desconforto irá durar apenas alguns minutos. Peça a orientação do profissional para a escolha da joia mais adequada, a fim de não causar impactos desnecessários em nenhum dos furos.

Rook

 

O rook é um dos piercings colocados na parte interna na orelha. Essa região, que também acomoda outros modelos de brincos, é composta de uma cartilagem bastante dura, o que a leva a ser um pouco mais dolorida que a do hélix, por exemplo. O rook é perfurado entre a hélice e o daith, que falarmos daqui há pouco.

Conchal (concha)

 

O conchal é um dos piercings mais visuais. Fazendo a escolha certa de joia, ele se torna extremamente atraente. Por ficar bem exposto, o conchal chama a atenção de quem olha para o seu rosto. Ele também é perfurado na cartilagem, abaixo do hélix e na parte interna da orelha, que forma uma concha.

 

Sendo assim, pelo local onde é colocado, o conchal é bem pouco dolorido. Não há terminações nervosas significativas naquela região, o que permite que a dor seja muito reduzida. Você irá sentir apenas a pressão da agulha perfurando a cartilagem e uma dor aguda, que passa em alguns minutos.

Tragus

 

O tragus se tornou um dos queridinhos da galera. A perfuração é feita na entrada do canal auditivo e o brinco é colocado de maneira regular. No entanto, nem todas as pessoas conseguem perfurar o tragus, justamente por essa região ser diferente de um para outro. Quando a cartilagem é muito espessa, o indicado é não colocar o piercing nesse local, para evitar problemas.

Anti-tragus

 

Sabe aquela cartilagem que fica logo acima do lóbulo? É bem ali que é perfurado o anti-tragus. Ele é bem semelhante ao tragus, apenas com a diferença de que, no primeiro, você vê as duas pontas do piercing, enquanto que no segundo apenas a joia fica exposta.

Lóbulo

 

É comum que as meninas tenham o lóbulo perfurado ainda nos primeiros dias de vida. Porém, nada impede fazer mais um – ou vários – furos nessa região. O lóbulo é uma área de baixa dor e cicatrização rápida. Por isso, se você tem medo de perfurar a cartilagem por achar muito dolorido, experimente fazer um furo no lóbulo.

Daith

 

O daith se tornou muito popular de uns tempos para cá, principalmente após ser considerado um piercing “medicinal”. Muito se falou sobre a utilização do daith para o alívio de dores de cabeça e enxaquecas, justamente por ele ser colocado sobre o ponto auricular que alivia essas enfermidades.

 

No entanto, a relação do daith com a eliminação dessas dores é relativa. Há pessoas que testemunham a melhora dessa condição, enquanto outras não comentam sobre nenhuma modificação significativa.

 

Porém, o daith é um piercing que precisa de cuidados. Ele é perfurado na região interna da orelha, em uma área de cartilagem dura. Por isso, podemos identificá-lo como um adorno dolorido. Além disso, a cicatrização dessa região exige atenção, para evitar que o cerume natural da orelha se concentre no local.

Aurículo (auricular)

 

O piercing auricular é muito delicado. Ele é perfurado na região logo acima do lóbulo, no início da cartilagem, e abaixo do conchal, o que o torna bem pouco dolorido e de fácil cicatrização. As combinações feitas entre os piercings de lóbulo e o conchal ficam incríveis.

Dermal

 

O dermal é um dos piercings mais discretos que você pode colocar. Ele é perfurado na parte interna da concha da orelha, bem no meio. É uma região de cartilagem dura, porém a dor da perfuração é considerada baixa.

 

Piercing na Orelha Dói?

 

A dor do piercing na orelha é relativa

 

Seria irreal se disséssemos que não. Efetivamente, você está perfurando uma parte do seu corpo, fazendo uso de uma agulha. Então, em termos bastante simples, dói. Mas não é nada insuportável. Na maioria dos locais, a dor é aguda e passa em alguns minutos.

 

Sendo assim, o mais importante para se preocupar, são com os cuidados após a perfuração. É natural que você sinta a orelha dolorida, principalmente quando mexe nele ou esbarra em algum lugar. Por isso, tome bastante cuidado com o brinco durante a cicatrização, para evitar traumas.

 

Além disso, é interessante salientar que não são todas as áreas da orelha que são doloridas. O lóbulo, por exemplo, possui uma baixíssima reação de dor. Lembre-se sempre de consultar o body piercer sobre as áreas mais dolorosas e respeite o seu próprio limite.

 

Cuidados Com a Cicatrização

Cuidados com o piercing na orelha

 

Essa é a parte mais importante da perfuração. Como dissemos, o processo de cicatrização deve ser feito com muito cuidado e atenção, para evitar a inflamação, a formação de queloides e, em casos extremos, a retirada do piercing na orelha. No entanto, basta seguir as dicas que daremos agora para evitar qualquer problema.

 

1. Mantenha Seu Piercing na Orelha Sempre Limpo

 

Faça a limpeza conforme o profissional te orientar. Normalmente, para a maioria das regiões da orelha, o indicado é uma solução de soro fisiológico morno. Embeba uma gaze e aplique na região perfurada. Essa dica irá te ajudar, inclusive, com o alívio da dor.

 

2. Mantenha Seu Piercing na Orelha Sempre Seco

 

Após fazer a limpeza regular, use um cotonete ou peça a ajuda de alguém. Seque bem a região, principalmente o local do furo. Mantendo livre de umidade, a cicatrização se torna mais rápida.

 

3. Não Fique Colocando a Mão no Piercing na Orelha

 

A nossa mão está repleta de bactérias invisíveis à olho nu e o seu piercing é, em termos práticos, um buraco aberto no seu corpo. Por isso, não fique colocando a mão no brinco, principalmente sem lavá-las antes.

 

4. Evite o Contato Com Produtos Químicos

 

Até a cicatrização, procure evitar que o furo tenha contato com produtos químicos para cabelos, principalmente aqueles de uso profissional. Shampoo e condicionador são menos agressivos, mas, mesmo assim, após lavar os cabelos é importante fazer a limpeza do local perfurado.

 

5. Evite Determinadas Comidas

 

Como chocolate, carne de porco e frutos do mar. Entenda que o seu organismo está lidando com uma perfuração e, ao ter contato com alimentos mais fortes, ele pode reagir negativamente, aumentando a chance de alergias.

 

6. Não Durma Sobre o Piercing na Orelha

 

Esse é um dos motivos que leva a cicatrização a demorar mais. Isso porque, quando você dorme sobre o piercing, está forçando o brinco a se movimentar dentro do furo, o que causa uma dor intensa.

 

7. Use Apenas o Que o Body Piercer Indicar

 

Quando furamos um piercing, sempre tem alguém que te dará uma dica incrível para cicatrizar mais rápido. Não dê ouvidos. O profissional que te perfurou sabe qual é o melhor método para a sua própria recuperação.

 

Se decidiu? Vai fazer qual piercing na orelha? São muitas opções e todas são igualmente incríveis! Se você gostou desse artigo, dê uma olhada em outro que nós temos, que fala sobre tatuagem de flor de lótus. Temos certeza de que também vai adorar!

 

Saiba Mais:

 

 

 

Compartilhe!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Precisa de ajuda?